sábado, 17 de novembro de 2012

Reação adversa a medicamentos



Reação adversa a medicamento (RAM), segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS),  é qualquer resposta prejudicial ou indesejável e não intencional que ocorre com medicamentos em doses utilizadas para prevenção, diagnóstico, tratamento de doença ou para modificação de funções fisiológicas.
Para que fique fácil entender, trago alguns conceitos simplificados sobre a classificação destas reações: 
1. reação ou hipersensibilidade alérgica: sua produção exige a sensibilização prévia do sistema imunitário do indivíduo ao componente de algum medicamento. É uma reação de intensidade não relacionada com a dose administrada, então chamamos de hipersensibilidade do tipo I (anafilaxia), considerada uma resposta súbita e potencialmente letal, ação decorrente da liberação de histamina e de outros mediadores químicos. A pessoa evolui com reações de pele(erupções cutâneas urticariformes), circulatório com aparecimento de inchaço (edema), Pulmonar( broncoconstrição, o músculo liso presente na parede brônquica se contrai levando a uma redução na passagem de ar pelas vias aéreas, tendo muita dificuldade para respirar e hipotensão (queda da pressão arterial.  
2. tolerância: acontece quando a administração repetida, contínua ou crônica de um medicamento, na mesma dose, diminui progressivamente a intensidade dos efeitos farmacológicos, sendo necessário aumentar gradualmente a dose para manter os efeitos na mesma intensidade. Ela leva dias ou semanas para acontecer; como exemplo,cita-se a tolerância produzida pelos barbitúricos reduzindo seu efeito anticonvulsivante.
3. efeito colateral: é o efeito inerente à própria ação farmacológica do fármaco, seu aparecimento é indesejável. Consideramos um prolongamento da ação farmacológica principal do medicamento e expressa um efeito farmacológico menos intenso. Como exemplo,  sonolência pelos benzodiazepínicos, que é uma droga depressora do sistema nervoso central, usado no tratamento da ansiedade e agressividade,o efeito pode para sedar, induzir ao sono, relaxar a  musculatura.
4. evento adverso: considerado uma injúria sofrida pelo paciente resultante de erros no uso de medicamentos (dose incorreta, dose omitida, superdose, via de administração não especificada, horário de administração incorreto e outros) e que resulta em falha terapêutica. É qualquer resposta a um medicamento que seja prejudicial, não intencional, e que ocorra nas doses normalmente utilizadas em seres humanos para profilaxia, diagnóstico e tratamento de doenças, ou para a modificação de uma função fisiológica.

Qualquer medicamento, se utilizado de forma inadequada, pode ter resultados catastróficos, causando mais danos do que benefícios. 


Embora tenham semelhanças, a automedicação e o uso indiscriminado de medicamentos são considerados duas práticas diferentes:

 Automedicação:
chamamos de  utilização de medicamentos por conta própria ou por indicação de pessoas não-habilitadas para tratamento de doenças cujos sintomas são "percebidos" pelo usuário, mas sem a avaliação de um profissional de saúde.


Uso indiscriminado: é mais comum; está relacionado à "medicalização", ou seja, uma forma de encontrar a cura para doenças e promover o bem-estar usando exclusivamente medicamentos, o que pode levar ao consumo excessivo e constante destes produtos. 

Fique atento, medicamento apenas com orientação médica.


Por Viviani Fernandes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

No one like you , no one like us!